quinta-feira, 23 de julho de 2009

Insônia

Reina agora algo que não existe,
tão somente a personificação de um excesso
do resto e de sua conseqüência.

Arde sem destino
enquanto houver o que consumir,
ardendo-se.

Já estava dito.
Eu ouvi,
mas não vi.
Eu sabia,
mas não usei.

A primeva bifurcação
gera o único intervalo
no qual me admito erigir uma muralha.