sábado, 24 de janeiro de 2009

Felicidade

Não…

Quisera eu nunca tê-la tocado.

Afaga-nos com uma mão,

distrai-nos deliciosamente

e, com a outra, crava o mais fino punhal

delicadamente…

Sequer dói, posto que estamos distraídos

mas também não é esta a questão e o objetivo.

O punhal toca levemente

a bolha que resguarda

o fel dentro da gente.

Quando retira a mão que afaga,

o que tão bem escondido estava

espalha, espasma, entranha…

A vida se perde.

Não… continua.

É agora a dor.

É saber que continua.

Então começamos

as mágoas d’alma limpar

e para tudo que juntamos

não encontramos melhor lugar

que nosso mais profundo lar

(inviolável acreditamos,

mas o ciclo é continuado

no próximo amar).




P.S.: Sempre tive inveja de um amigo que fazia PSs jocosos, eis minha tentativa: Sim, eu me inspirei um pouco na vesícula biliar… Ia até rimar direitinho e iria ficar um fim ótimo, embora pouco poético:

Então começamos

as mágoas d’alma limpar

e para tudo que juntamos

não encontramos melhor lugar

que a vesícula biliar.

^^