segunda-feira, 23 de março de 2009

mulher

Trago o vento na pele
como única lembrança
dos lugares de onde venho.

Trago nos olhos rasgados
um abismo de desmemórias.

Trago no seio um animal sem alma.

Sem platonismo.

Sem calma.

E o que me traz
é o desejo de ser desejada
e nada mais.

5 comentários:

Lobodomar disse...

Bom dia.

Excelente poema. Traduz bem a essência da alma feminina, no que tem de mais puro e natural.

Grande abraço, Poetisa!

Yuliana disse...

Josy, tô com saudades de você! =~~

Rodrigo disse...

Desejada você é, e sabe disso.
Só que apenas isso não bastou.

Cleiton Benkendorf disse...

Que tal uma troca de links?
Responda em http://escuteseusolhos.blogspot.com

O Próprio disse...

ótimo texto em um ótimo blog!

você tem talento.


se tiver tempo, dê uma olhada no
poetainvisivel.blogspot.com