sábado, 20 de dezembro de 2008

Minguando…

Se não sabe o que quero.

uma contradança, senhor.

Se não sabes o que gosto,

palavras bonitas, senhor.

 

O que me desagrada é teu desagrado

teu destino desatinado

que tenta me excluir

mesmo que docemente.

 

Se não sabes o que sou,

mulher minguante, senhor.

Foi o que tuas palavras incisivas

fizeram e fazem de mim.

 

E preciosa já não sou,

mas guardo com zelo,

os restos tristes de meu sorriso,

que já te ofertei com tanto gosto.