terça-feira, 2 de outubro de 2007

Quando esvaecida de mim mesma,
o maior dos meus prazeres
é ver-te as vísceras gritando em sussurros por mim.

Contudo, que jamais
que jamais me falem de amor.
E que isso pareça uma ordem
e não a sina que, de fato, é.
Durante meus ritos de passagem
estava em meio a flores tóxicas
e, passado o passado,
chega, como presente,
para a mulher antiga que sou,
o amor antigo que és.

Amor, vem por palavras,
sê testemunha das minhas
e eu me irei por todos os meios
para me findar em ti.