quinta-feira, 29 de março de 2007

Procura-se um cúmplice
desses enxutos e concisos
desses que se consolam
e entendem quem quer se consolar.
Procura-se um cúmplice
desses presentes
desses que falam sozinhos
desses que cultuam o ócio dominical
e, de quando em vez, me permita modificar isso.
Procura-se um cúmplice
desses sinestésicos
que tenha tardes e entardeceres
desses que não resistem a sorvetes,
banhos de chuva,
bancos de praça
e caminhadas sem rumo.
Procura-se cúmplice.
Procura-se um tipo de gente
capaz até de gostar da cor verde.
Procura-se gente de verdade
dessas que gostam de pedras
neologismos,
penas,
cheiro de papel
e, talvez, até de mim.