sábado, 1 de setembro de 2007

Após tanto tempo de cárcere voluntário
é estranho estar novamente à mercê de mim.
Odeio estes dias de areia que vêm se chegando,
dias nos quais sou duna
e, grão a grão, leva-me o vento.

Antes que eu, mais uma vez,
comece a ver tristeza nas coisas alegres.
Antes que eu me morra em silêncio.
Leva-me, ó Vento!

Um comentário:

crescer e aprender disse...

MUITOS PARABENS PELO SEU BLOG! Adorei. está bonito, profundo ... Um beijinho