terça-feira, 14 de agosto de 2007


para Clementina

Porque vieste não sei.
Só sei que, sem ti, já não sei.
Vieste calada
Minha outridade querida
Ausente em absoluto de mim
Minha amante, amada, mãe e irmã
Vida, vida, vida
...
Eu te abortei.
Perdoa-me!
Que eu hei de perdoar-te por teres ressucitado.

Desculpa, eu te amei.
(Bem sei que isso é imperdoável)
Não, eu te viscerei.

Estranha que me entranha,
teu cabelo foi meu travesseiro por tanto tempo e eu nem notei.

Um comentário:

Rodrigocaem disse...

Absorve logo a Clementina de volta a seu ser que eu prefiro você só como Josy mesmo!

Você tem tudo que precisa só como si mesma, não precisa de outra pra te completar!