quinta-feira, 29 de março de 2007

Procura-se um cúmplice
desses enxutos e concisos
desses que se consolam
e entendem quem quer se consolar.
Procura-se um cúmplice
desses presentes
desses que falam sozinhos
desses que cultuam o ócio dominical
e, de quando em vez, me permita modificar isso.
Procura-se um cúmplice
desses sinestésicos
que tenha tardes e entardeceres
desses que não resistem a sorvetes,
banhos de chuva,
bancos de praça
e caminhadas sem rumo.
Procura-se cúmplice.
Procura-se um tipo de gente
capaz até de gostar da cor verde.
Procura-se gente de verdade
dessas que gostam de pedras
neologismos,
penas,
cheiro de papel
e, talvez, até de mim.

3 comentários:

Rodrigo disse...

Droga... eu não satisfaço um monte das suas exigências =/

Não sou conciso
Eu nunca estou presente
Estudo domingo
Resisto a sorvetes, banhos de chuva, bancos de praça e caminhadas sem rumo

Nem sou real, sou apenas um delírio, uma ilusão, um sonho distante do qual você ainda não acordou.

Rodrigocaem disse...

Não vai continuar escrevendo? =(

trisco disse...

ai ai, que poema lindo... olhe, que eu não resito a sorvetes, eim